Motorista de carro de luxo que matou vigilante atropelado bebeu em bares antes do acidente, dizem testemunhas à polícia

  • 11/06/2024
(Foto: Reprodução)
Motorista negou em depoimento à polícia que bebeu. Vítima foi morta no caminho do trabalho na GO-020, em Goiânia. Justiça mantém preso motorista suspeito de atropelar vigilante na GO-020 em Goiânia O motorista do carro de luxo Antônio Scelzi Netto, suspeito de matar um vigilante atropelado bebeu em vários bares de Goiânia antes do acidente, informaram testemunhas à Polícia Civil. Segundo a delegada responsável pelo caso, Ana Cláudia Stoffel um laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que o motorista estava sobre efeito de álcool, porém, não embriagado, o que poder ser confrontado com versões apresentadas por testemunhas. "O laudo do IML assegurou que o condutor do veículo estava sobre influência de álcool, entretanto, ele não estava embriagado. Só que, a embriaguez pode ser não só comprovada pelo bafômetro e não só pelo laudo médico, mas também por provas testemunhais apresentadas" disse a delegada à TV Anhanguera. ✅ Clique e siga o canal do g1 GO no WhatsApp O g1 pediu um posicionamento para a defesa do motorista, mas não obteve respostas até a última atualização. Antônio Netto teve a prisão convertida em preventiva pela Justiça após audiência de custódia realizada na segunda-feira (10). Durante a audiência, a juíza Ana Claudia Veloso Magalhães disse que o motorista apresenta risco para a ordem pública. "A sansão é de reclusão superior a 4 anos. A ordem pública não pode ficar desprotegida com a presença dele em sociedade, ele não sabe o que é respeito pela lei, agride, afronta e dissemina a nossa sociedade", disse a juíza ao converter a prisão em flagrante para preventiva. LEIA TAMBÉM: Motorista de carro de luxo preso por matar vigilante atropelado disse que tinha saído de pub e não bebeu, afirma delegada Vigilante morre após ser atropelado e arrastado por carro de luxo, diz PM Carro de luxo bate em árvore, pega fogo e deixa motorista ferido em avenida de Goiânia Antonio Netto, suspeito de atropelar e matar vigilante em rodovia de Goiânia Reprodução/TV Anhanguera A Justiça retirou o direito do condutor de dirigir qualquer tipo de veículo nos próximos quatro anos. De acordo com a investigação, após atingir a moto de Clenilton Lemes Correia na GO-020, de 39 anos, Antônio arrastou o vigilante por cerca de 200 metros e fugiu do local logo após. "Nunca mais a família poderá abraçar Clenilton, que foi atingido irresponsavelmente e dolosamente (quando há intenção)" afirmou a juíza. A Polícia Civil diz que recebeu três denúncias anônimas que afirmaram terem visto Antônio beber antes do acidente. Em depoimento, o motorista negou ter bebido. Ainda durante o depoimento, Antônio Netto disse que não parou para prestar socorro por ter ficado em estado de choque ao perceber que a vítima estava morta. A placa da moto da vítima chegou a ficar presa no para-choque do carro devido a força do impacto. Vigilante morre após ser atropelado em rodovia de Goiás Divulgação/PM Antônia Araújo, viúva de Clenilton, cobrou justiça pelo caso a dizer que não poderia passar por impunidade. "Isso é muito grave. Pura irresponsabilidade. Tirou a vida de um pai de família, não pode ficar impune, sei que isso não acontece pela primeira vez e nem vai ser a última" disse Antônia em tom de indignação. Acidente Clenilton Lemes Correia morreu após motorista de Mercedes bater contra moto dele e fugir Divulgação/PM Clenilton morreu na madrugada do último domingo (9) após o motorista bater na traseira da motocicleta dele na GO-020, segundo a Polícia Militar. De acordo com os policiais, Antônio Scelzi Netto, de 25 anos, dirigia um carro do modelo Mercedes-Benz C180 e fugiu do local sem prestar socorro. Ele foi preso no Jardim Guanabara. O acidente ocorreu por volta das 5h40. De acordo com os policiais, o vigilante estava a caminho do trabalho quando foi atingido pelo carro. A Polícia Científica informou que ele teve politraumatismo com múltiplas lesões contusas. Após a batida, a placa do carro saiu e ficou no local do acidente, o que ajudou a localizar o motorista, enquanto a placa da motocicleta ficou presa ao para-choque do carro. A Polícia Militar afirmou que, após o acidente, o suspeito foi até a casa dele, localizada em um condomínio de luxo, deixou o carro e se escondeu em um galpão. Durante a abordagem dos policiais, Antonio Netto se recusou a fazer o teste do bafômetro. 📱 Veja outras notícias da região no g1 Goiás. VÍDEOS: últimas notícias de Goiás

FONTE: https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2024/06/11/motorista-de-carro-de-luxo-que-matou-vigilante-atropelado-bebeu-em-bares-antes-do-acidente-dizem-testemunhas-a-policia.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Top 5

top1
1. FICA SENHOR

GRACY SANTOS

top2
2. VILMA DOURADO

DEUS NAO TE ABANDONA

top3
3. ME AMA

VANIA SARES

top4
4. waldir silva

se tou na prova vou dando gloria

top5
5. LAGRIMAS

ROSY SILVA

Anunciantes